DJI_0020-2.jpg

Albufeira do Maranhão

A Albufeira é um convite ao lazer e à contemplação, um lugar que respira pureza e tranquilidade, mas também um desafio aos audazes, um palco de vitórias e um bastidor para os grandes campeões.

Este espelho de água estende-se ao longo de 40 Km repartidos por três braços distintos, envolvidos pela natureza que revelam cenários naturais únicos que vão desde as onduladas planícies douradas às verdes fragas intocadas.

Aceite o convite e experimente as diversas atividades desportivas que a Albufeira do Maranhão e a sua envolvente proporcionam, desde o remo, à pesca, caça ou canoagem, BTT ou caminhada, um simples passeio de barco ou a observação de aves.


1R2A6751.jpg

Património Arqueológico


Coutada.jpg

Anta da Coutada

Localização: Benavila-Valongo (39° 7'6.60"N, 7°53'16.04"W)

Acesso de dificuldade média por caminho municipal situado entre Benavila e Valongo, terminado com percurso a pé ou de bicicleta com cerca de 1,6 Km em terreno geralmente utilizado para pastagem.

Inacessível para pessoas com mobilidade reduzida.

Visita livre (sem informação no local)

  • Monumento de grande dimensão do qual se conservam cinco esteios da câmara e fragmento de um outro. A tampa encontra-se tombada e fragmentada. O corredor é longo e conserva duas tampas in situ. O tumulus é visível junto aos esteios. Junto à estrutura tumular encontra-se um bloco de grande dimensão, recentemente movido, o qual apresenta um painel gravado com covinhas e um círculo com apêndice. O monumento é construído em granito com exceção de um dos esteios da câmara.


Cumeada.jpg

Anta da Cumeada

Localização: Benavila-Valongo (39° 8'20.45"N, 7°50’52.35"W)

Acesso de dificuldade média efetuado por um caminho pedonal localizado do lado direito da estrada que liga Benavila a Valongo, mesmo antes da ponte.

O percurso, com cerca de 2 km, é efetuado junto às águas da Albufeira. Sazonalmente o caminho fica submerso. No final do trajeto o acesso ao monumento é feito por propriedade privada, utilizada para pastagem.

Visita livre (sem informação no local)

  • Monumento de grande dimensão, em granito do qual se conservam 7 esteios da câmara e a tampa, a qual se encontra tombada e onde é possível ver um conjunto de covinhas. Do corredor permanecem 5 esteios, um dos quais já deslocado, e 1 tampa. Nas imediações do monumento encontram-se 3 blocos de granito que terão pertencido à anta. O tumulus preserva-se apenas na zona junto aos esteios.


Monumento epigr†fico de Entreµguas.jpg

Monumento Epigráfico

Localização: Benavila-Valongo (39° 7' 3.26" N, 7° 52' 4.60" W)

Acesso fácil à Ermida de Nossa Senhora de Entre Águas pela EN-370, no sentido Benavila a Alter do Chão.

Acessível para pessoas com mobilidade reduzida.

Visita livre (sem informação no local)

Apoio à visita: Folheto “Sítios, monumentos e artefactos”

Nota: Lápide de Entre Águas | Romano (século I d.C.) | Monumento Nacional

  • Placa funerária elaborada sobre suporte de granito de forma retangular, hoje embutida no alçado tardoz da Ermida de Nossa Senhora de Entre Águas. Na época romana estaria incluída em estrutura ou edifício de cariz religioso ou funerário. Evidencia uma face trabalhada, sobre a qual assenta o campo epigráfico. O texto ocupa a metade inferior do campo, sugerindo que o monumento se destinava a ser colocado no alto. Na transcrição da epígrafe é possível ler-se: “Lobesa, filha de Lovésio, de cinquenta anos, está aqui sepultada. Que a terra te seja leve”. A qualidade do seu material, assim como de outros elementos contemporâneos, fez com que fosse reaproveitada na construção da Ermida de Nossa Senhora de Entre Águas, edifício datado do século XV e erguido sobre um local de período romano, cujas evidências ainda persistem nas suas imediações.


Horta+da+Palha.jpg

Anta da Horta da Palha

Localização: Benavila-Valongo (39° 6' 40.90" N, 7° 51' 55.99" W)

Acesso fácil em percurso pé com cerca de 250 m a partir da Rua Luís da Silva Aço, em Benavila, mas condicionado.

Inacessível para pessoas com mobilidade reduzida.

Visita por marcação através dos contactos: Fundação Abreu Callado, em Benavila.

Tel.: 242 430 000 E-mail: fundacao@abreucallado.pt

  • Monumento de grande dimensão, de câmara trapezoidal, com seis esteios in situ, e corredor, do qual se preservam dois esteios e uma tampa. Embora se integre numa zona agrícola, ainda é possível identificar vestígios do tumulus, sobretudo junto aos esteios. Referência à recolha de um machado de pedra polida.


Olival+da+Anta.jpg

Anta do Olival da Anta

Localização: Torre de Ervedal 3 (39° 3' 56.95" N, 7° 48' 33.18" W)

Acesso fácil pelo caminho que liga Benavila à EM 1071 (Ervedal - Figueira e Barros), seguido de percurso a pé com cerca de 850 m.

Inacessível para pessoas com mobilidade reduzida.

Visita livre (sem informação no local)

  • Monumento funerário em granito cuja câmara conserva sete esteios e tampa, ligeiramente inclinada e com um conjunto de covinhas gravadas e um cruciforme. O corredor apresenta três esteios. Esta anta foi escavada, na década de 70 do século XX, pelo Grupo de Trabalho e Acção Cultural Ervedalense - Secção de Arqueologia. A partir deste monumento é possível estabelecer contacto visual com as antas da Torre do Ervedal 4 e Passarinhos 1.


Passarinhos+1.jpg

Anta de Passarinhos 1

Localização: Benavila-Valongo (39° 3' 55.37" N, 7° 48' 44.45" W)

Acesso fácil pelo caminho que liga Benavila à EM 1071 (Ervedal - Figueira e Barros), seguido de percurso a pé com cerca de 400 m.

Inacessível para pessoas com mobilidade reduzida.

Visita livre (sem informação no local)

  • Monumento funerário cuja câmara preserva três esteios in situ, tal como parte da tampa apoiada sobre os esteios. Próximo encontram-se mais cinco esteios ou fragmentos deles. Do corredor conservam-se dois esteios a Norte e um a Sul. Construído em granito, o monumento integra um esteio em grauvaque. Ainda se detetam vestígios do tumulus, apesar de afetado por caminho rural na extremidade Este. É possível estabelecer contacto visual com a anta de Olival da Anta.


Penedo+da+Moura.jpg

Anta do Penedo da Moura

Localização: Figueira e Barros (39° 3’ 8.19’’ N, 7° 46’ 53.75’’ W)

Acesso fácil pela EM 1071 (Ervedal-Figueira e Barros). Percorridos cerca de 2,2 Km depois da ponte encontra-se a indicação do lado esquerdo da estrada. Estacionar o carro e percorrer a pé cerca de 300 m até ao monumento. A propriedade é regularmente utilizada para pastagem.

Apoio à visita: Folheto “Sítios, monumentos e artefactos”

  • Monumento funerário em granito que apresenta câmara de planta poligonal com cerca de 3,20m de diâmetro, definida por sete esteios. Seis deles estão in situ e o sétimo localizava-se junto à entrada, encerrada por outro esteio em cutelo. Sobre a câmara prevalece a tampa. O corredor tem dois esteios de cada lado e o que parece ser uma tampa deslocada. Junto ao monumento, são evidentes cinco fragmentos de granito que poderão ter-lhe pertencido. São ainda visíveis vestígios do tumulus. É um dos exemplares mais bem conservados do megalitismo funerário do Concelho de Avis.


Torre%2Bde%2BErvedal%2B1.jpg

Anta da Torre de Ervedal 1

Localização: Ervedal (39° 2' 56.38" N, 7° 48' 19.38" W)

Acesso fácil a partir da ponte de Ervedal, na direção de Figueira e Barros, terminado com percurso a pé, que apresenta maior dificuldade no Inverno.

Inacessível para pessoas com mobilidade reduzida.

Visita livre (sem informação no local)

  • Monumento em granito atualmente localizado junto da cota máxima de enchimento da Albufeira do Maranhão. Da câmara conservam-se cinco esteios in situ, dois deles intactos. É visível uma tampa do corredor. O tumulus conserva-se em grande parte, apesar de ter sido afetado pelas águas da albufeira. O monumento foi objeto de escavações antigas.


Torre de Ervedal 4.jpg

Anta da Torre de Ervedal 4

Localização: Ervedal (39° 4' 0.30" N, 7° 48' 15.25" W)

Acesso de dificuldade média pelo caminho que liga Benavila à EM 1071 (Ervedal - Figueira e Barros), terminado com percurso a pé com cerca de 900 m, em terreno agrícola, onde, por vezes, também se encontra gado.

Inacessível para pessoas com mobilidade reduzida.

Visita livre (sem informação no local)

  • Monumento em granito que conserva cinco esteios da câmara, dois deles tombados. A Norte encontram-se quatro blocos que poderão ter-lhe pertencido. A tampa, inclinada, está apoiada num dos esteios, evidenciando uma covinha. Do corredor conserva-se um esteio. O tumulus encontra-se preservado junto aos esteios.


1R2A6458.jpg

Património Cultural

Igreja e Convento de São Bento de Avis


7183683596_0f15ba3157_b.jpg

Igreja Matriz

Dedicada a Nossa Senhora da Orada, este templo simples mas de dimensões apreciáveis tem uma fachada clássica, ladeada por duas torres sineiras, e um interior de uma ampla nave.

A construção original remonta ao século XV mas foi remodelada no século XVII, de quando datam os azulejos polícromos decorativos da Capela-mor e do arco triunfal, bem como a maior parte das tampas das sepulturas rasas. O retábulo do altar-mor, em talha dourada, é do século XVIII.

A igreja é dedicada à Senhora da Orada e tem capelas laterais modestas.

A utilização como espaço de culto cristão mantém-se até à atualidade.


Pelourinho

O pelourinho, situado ao lado da Igreja Matriz data da segunda metade do século XVI. Na cimalha destacam-se os mascarões a águia, que dá forma à lenda de fundação da vila. O escudo e a coroa joanina foram acrescentados no século XVIII.


1R2A5637.jpg

Museu do Campo Alentejano


Paços do Concelho Medievais

Junto à Igreja Matriz encontramos o edifício dos Paços do Concelho Medievais, uma construção retangular que foi alvo de várias alterações ao longo dos séculos mas que se encontra em ruínas.

De destacar o conjunto de janelas geminadas góticas que datam, provavelmente, do século XIV.

2e5b194801bad96c3ebfbfee93ed2c72.jpg

1R2A5903.jpg

Centro Interpretativo da Ordem de Avis


Halimium umbellatum (L.) Spach (3).JPG

Rede Natura 2000

Sítio de Aldeia Velha/Cabeção: Este Sítio de Importância Comunitária abrange uma área de 486 km2, 49% dos quais pertencente ao Concelho de Avis, nomeadamente à Freguesia de Aldeia Velha. Trata-se de uma área de planícies onduladas onde predomina o montado de sobro e azinho, onde se encontram áreas de produção pecuária extensiva, e que se destaca pela importância da conservação de espécies e habitats.

Aqui encontramos, por exemplo, 60% do total comunitário de Halimium verticillatum, popularmente conhecida como erva sargacinha, uma planta endémica em vias de extinção que apenas existe em Portugal.

Info: Halimium verticillatum


Centro de Arqueologia de Avis

O Centro de Arqueologia de Avis localiza-se na zona antiga da vila e ocupa uma das frações do conjunto monástico de São Bento de Avis (Imóvel de Interesse Público) que se encontrava associada ao Claustro Novo e que hoje se designa por Pátio das Cisternas. A funcionar desde 2011, O Centro assume-se como um espaço de cariz científico e cultural que reúne as condições para o desenvolvimento de um conjunto diversificado de atividades no domínio da Arqueologia.

Integra, na sua estrutura funcional, Reservas de Arqueologia e Antropologia, Laboratório e Inventário, Centro de Documentação - Biblioteca e Mapoteca, Gabinetes de Trabalho e Gabinete de Desenho, Espaço de Acolhimento de Visitantes, Serviço Educativo, Espaço Multimédia e espaços complementares e de apoio.

No seu funcionamento privilegia o contacto directo com o património arqueológico e as diferentes fases de trabalho, dando a conhecer espaços e etapas que de outro modo não seriam acessíveis ao público. Nesse sentido o Centro promove e organiza visitas orientadas, recebendo igualmente visitas ocasionais, adoptando um modelo de visita dinâmico e personalizado, complementado pelas exposições temporárias, patentes na biblioteca do Centro.

Avis: 39°03'21.44"N / 07°53'18.12"W

Pátio das Cisternas, 8, 7480-121 Avis, Tel./fax: +351 242 411 219.

Email: arqueologia@cm-avis.pt 2ª a 6ª feira, 9h00 às 12h30 e 14h00 às 16h00

Acessível para pessoas com mobilidade reduzida.

Nota: Visita gratuita. Visita recomendada ***


Posto de Turismo

1R2A6494.jpg
1R2A6484.jpg
1R2A6503.jpg

O Posto de Turismo de Avis acolhe visitantes e turistas, disponibilizando informações turísticas, fazendo visitas guiadas ao Centro Histórico (com marcação prévia) e outras, tais como visitas à Cisterna Municipal e à Torre da Rainha. Este é também um espaço de promoção do concelho, pois aqui encontra material promocional e merchandising bem como peças de artesanato e diversos produtos locais, como vinhos, azeites, licores e compotas.

Horário de Verão: 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00  

Horário de Inverno: 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h00

Contactos:

Praça Serpa Pinto, 1

Tel.: +351 242 410 097

E-mail: turismo@cm-avis.pt